segunda-feira, 2 de março de 2020

FcCpC - "Zangado", "Paciência", "Disciplina é Amor" e... a investigação dos alunos

Num percurso de Filosofia com Cinema para Crianças, os alunos do 4º J (grupo Fénix) têm estado a trabalhar sobre emoções,  sentimentos e comportamentos com as professoras Cecília Tomás (Educação Especial) e Sara Serrano (Professora do Projeto Fénix).

As curtas-metragens escolhidas foram três e surgiram numa sequência lógica "Zangado", "Paciência" e "Disciplina é Amor" (clique nos nomes das curtas-metragens e veja-as).

O percurso da investigação foi registado pelas professoras e encontra-se AQUI.

Depois da investigação sobre emoções, sentimentos, ações e comportamentos, as perguntas e respostas registadas por alunos e professoras foram as seguintes:


O que é que te deixa zangado?
Daniel: As pessoas queixinhas.
André: Quando as pessoas me batem ou chateiam.
Raissa: Quando as pessoas me irritam.
Rodrigo Santos: Quando me batem e me irritam.
Paulo: As pessoas queixinhas.
Vasco: Quando as pessoas me chateiam e me chamam nomes.
Gabriel: Quando me batem sem razão.

O que fazes para te acalmar?
Daniel: Conto de 1 até 50 e pinto mandalas para me acalmar.
André: Afasto-me e ignoro quem me está a incomodar.
Raissa: Quando pego na minha irmã bebé sinto-me bem.
Rodrigo Santos: Abraço o meu irmãozinho e sinto-me bem e mais calmo.
Paulo: Deito a cabeça na mesa e falo sozinho.
Vasco: Afasto-me dessas pessoas e vou brincar com outras pessoas.
Gabriel: Ignoro a pessoa e vou-me embora.

Pelo que não gostas de esperar? Porquê?
André: Não gosto de esperar pelo o Natal porque demora muito tempo.
Daniel: Não gosto esperar para sair do castigo porque é chato.
Paulo: Eu não gosto de esperar pelos meus anos e pelo natal porque é chato e demora muito.
Gabriel: Não gosto de esperar pelos meus anos porque quero estar em família.
Vasco: Não gosto de esperar pelo o que me prometem porque sou impaciente.
Raissa: Eu gosto de esperar por tudo. É bom esperar pelo que desejo!
Rodrigo Santos: Não gosto de esperar pelo natal e pelos meus anos porque sou impaciente.

O que sentes quando se zangam contigo?
André: Quando se zangam  comigo eu sinto-me triste e culpado.
Rodrigo Santos: Quando se zangam comigo eu sinto-me muito mal.
Daniel: Eu me sinto-mal, mas é para o nosso bem.
Raissa: Fico desiludida.
Vasco: Fico triste.
Paulo: Eu sinto tristeza.
Gabriel: Sinto que fiz uma coisa de mal.

Achas necessário que por vezes se zanguem contigo? Porquê?
André: Sim  porque às vezes porto-me  mal.
Rodrigo Santos: Sim porque eu às vezes perco a cabeça.
Daniel: Sim. Para o nosso bem.
Paulo: Sim porque eu porto-me mal e faço asneiras.
Gabriel: Sim. Para o meu bem, para eu perceber o que fiz.
Raissa: Sim para me ajudar a crescer.


E tu? O que achas do nosso projeto? 
Faz um comentário a esta nossa investigação!


A investigação que se apresenta resulta da participação dos alunos:
André Silva, n.º2
Daniel Silva, n.º 5
Gabriel Tavares, n.º 8
Paulo Barbosa, n.º 18
Raíssa Amado, n.º 20
Rodrigo Cipriano, n.º 22
Rodrigo Santos, n.º 23
Vasco Castro, n.º 26

Sob orientação das professoras:
Cecília Tomás (Educação Especial)
Sara Serrano (Projeto Fénix)


sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

O rei e a espada mágica

     Era uma vez um rei muito bondoso, corajoso, carinhoso, simpático e engraçado que vivia num planeta mágico. Este planeta era misterioso, luminoso, brilhante, grande e bonito.
     O rei tinha como missão descobrir uma espada que era muito pesada, além de ser flamejante, inquebrável e mágica. Esta missão era muito importante, pois o rei não queria que a espada caísse nas mãos erradas, porque se isso acontecesse o planeta mágico poderia ser destruído.
     Para encontrar a espada ele tinha de ir ao deserto. O local onde se encontrava o objeto mítico era quente, seco, ensolarado, interminável e devido a estas características o deserto era cansativo.
     Nesse dia, o rei foi para o deserto e enquanto procurava a espada de repente apareceu um gigante para atrapalhar a sua missão que se tornou mais difícil porque aquele personagem era insuportável, trapalhão, impulsivo, maldoso e também perigoso .
     O gigante seguiu o rei até às pirâmides e este entrou numa pirâmide pequena e velha onde o gigante não conseguia entrar. O gigante deu um murro na pirâmide que se desmoronou e o rei ficou lá preso. Ao tentar escapar, o rei encontrou uma sala secreta onde estava um túmulo e através dos furinhos via-se uma luz brilhante. O rei abriu o túmulo e estava lá a espada que tanto procurava.
     Nesse momento começaram a cair pedras sobre o rei foi então que o rei pegou na espada e a utilizava para afastar as pedras, mas o rei já estava a ficar exausto.
     Enquanto ele lutava com a espada sem querer carregou num botão e como que por magia apareceu um extraterrestre. Quando o rei o viu, assustou-se e ameaçou-o com a espada e perguntou-lhe:
     - Quem és tu?
     - Eu vim para te ajudar a sair daqui. Essa espada pertencia ao meu povo, mas certo dia enquanto andávamos por este deserto um gigante apareceu e roubou-nos a espada e nunca mais a vimos. - disse o extraterrestre.
     - Então mas como descobriste agora que a espada estava aqui? - interrogou o rei.
     - Porque tu carregaste no botão da espada que identifica o lugar onde ela está. - explicou o extraterrestre. - Entra na minha nave e vamos embora daqui.
     Os dois entraram na nave e foram para o planeta do extraterrestre devolver a espada ao verdadeiro dono.
     O gigante ao ver a nave espacial a afastar-se, ficou tão enfurecido que deu um grito e provocou uma tempestade de areia.
     Finalmente a espada está verdadeiramente segura.
     Meu dito, meu feito este conto saiu perfeito.





 Texto narrativo (Conto) criado, escrito e redigido por:
André Silva, n.º2
Daniel Silva, n.º 5
Gabriel Tavares, n.º 8
Paulo Barbosa, n.º 18
Raíssa Amado, n.º 20
Rodrigo Cipriano, n.º 22
Rodrigo Santos, n.º 23
Vasco Castro, n.º 26

Sob orientação das professoras:
Cecília Tomás (Educação Especial)
Sara Serrano (Projeto Fénix)

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência
Experimentar a diferença


     Para comemorar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, no dia 3 de dezembro durante o intervalo da manhã, os professores de Educação Especial e da UAM, Cecília Tomás e Paula Almeida, juntamente com os professores do Projeto Fénix, Sara Serrano e Bruno Rocha, promoveram atividades para os alunos poderem Experimentar a diferença  no recinto exterior da EB1/JI Quinta dos Franceses.
     As atividades desenvolvidas foram três: com meias nas mãos os  alunos tentaram fechar o casaco experimentando as dificuldades  da  deficiência cognitiva, andar de cadeira de rodas e experimentar a deficiência física e pintar com a boca como se  não tivessem mãos. Foi para relembrar que a pessoa com deficiência existe e para os alunos experimentarem como é ter uma deficiência e saber como é difícil ser deficiente, que neste dia comemorámos o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência experimentando a diferença.




Ficha técnica
Notícia criada e escrita por
Filipe Cardoso
Dário Antunes
4ºI

Com prática guiada por
Professora Cecília Tomás 
(Educação Especial)

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Lenda de S. Martinho

Lenda de S. Martinho


     Há  muito tempo, num dia chuvoso de  outono, Martinho  regressava à sua terra natal, em França, montado no seu cavalo.
     A meio  do caminho Martinho encontrou um mendigo debaixo de um castanheiro.
     O Martinho aproximou-se do mendigo e este pediu-lhe esmola.
     Martinho não tinha dinheiro para lhe dar, então com a sua espada cortou  a sua capa  ao meio e deu-lha.
     O mendigo agradeceu ao Martinho, porque lhe deu metade da sua capa e aconteceu um milagre: a chuva desapareceu e o sol começou a brilhar.
     Martinho e o mendigo apanharam as castanhas, fizeram uma fogueira e assaram-nas para as comer.





Tema trabalhado
Texto narrativo (Lenda)

Professoras que acompanharam:
Cecília Tomás (Educação Especial)
Sara Serrano (Projeto Fénix)

Alunos que criaram e escreveram o texto:
 4ºJ
André Marques da Silva
Daniel Carlos Medeiros de Oliveira Silva
Gabriel José Moreira Tavares
Paulo Manuel Marques Barbosa
Raissa Mariana Domingues Amado
Rodrigo de Brito Castilho Cipriano
Rodrigo Rafael Costa Santos
Vasco Guilherme dos Santos Morais de Castro


domingo, 10 de novembro de 2019

Halloween na Escola Quinta dos Franceses

Halloween na Escola Quinta dos Franceses
Atividades Criativas


     Na escola Quinta dos Franceses, entre os dias 25 e 31 de outubro, os alunos e os  professores Cecília, Sara e Bruno, fizeram abóboras e morcegos em origami, poemas e acrósticos sobre o halloween.
     Estas atividades foram realizadas nas horas dos intervalos e nas salas do fénix, com o apoio da educação especial porque no dia 31 de outubro comemorou-se o halloween.
     Daqui resultou o placard do halloween.




Ficha Técnica

Tema trabalhado
A notícia (4º ano)

Professoras que acompanharam:
Cecília Tomás (Educação Especial)
Sara Serrano (Projeto Fénix)

Alunos que compuseram a notícia:
 4ºJ
André Marques da Silva
Daniel Carlos Medeiros de Oliveira Silva
Paulo Manuel Marques Barbosa
Raissa Mariana Domingues Amado
Rodrigo de Brito Castilho Cipriano
Rodrigo Rafael Costa Santos
Vasco Guilherme dos Santos Morais de Castro

Redatores:
Dário Antunes, 4ºI      

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

O ovo e a galinha


O ovo e a galinha





     Era uma vez uma galinha que estava a tirar penas do seu corpo para fazer um ninho.
     A galinha pôs um ovo no ninho que tinha sido feito por ela. Em seguida a galinha aqueceu o ovo e dentro dele começou a formar-se um pintainho. 
     O pintainho cresceu dentro do ovo, furou a casca e nasceu .
     A galinha ficou feliz e deu comida ao seu filho. Ela também o aqueceu debaixo das suas penas.
     Entretanto o pintainho cresceu e foi procurar comida sozinho porque já não precisava que a mãe procurasse comida por ele.
     Já crescido, o pintainho foi-se embora.



                                           

Autores:
Rodrigo Santos 4º J (redator)  
Rafael Narciso 3ºJ (contador da história)

Com o apoio da professora Cecília Tomás (Educação Especial)